Segunda-feira, 14 de Julho de 2008

REFLEXÃO SOBRE A APRENDIZAGEM

 

Como elaborar uma reflexão sobre a aprendizagem nos domínios de referência de cada núcleo gerador?
 
1-     Fale, sumariamente, sobre o tema geral do núcleo, defina o que entende por ambiente e sustentabilidade, saúde…
2-     Exponha que conhecimentos e que competências tinha, antes das sessões, sobre o tema. O que sabia sobre o ambiente? Se separava o lixo? Se tinha conhecimentos sobre o impacto da poluição? Se tinha cuidados com a saúde, alimentação, se conhecia a consequências dos maus hábitos alimentares etc.
3-     Enumere o que aprendeu durante as sessões e durante a realização dos trabalhos, dando exemplos, o que lhe ficou na memória em relação aos temas, o que mais o marcou…
4-     Explique de que forma esses novos conhecimentos e essas novas aprendizagens o influenciaram, dando exemplos do quotidiano. O que é que esses conhecimentos e essas aprendizagens modificaram na sua vida. Que utilidade têm?
5-     Fale das dificuldades que encontrou ao realizar os trabalhos e como as superou.
6-     Avalie o seu percurso e diga se melhorou ou não, em quê e o que falta aperfeiçoar.
 
Para completar este plano, veja a apresentação, clicando na hiperligação seguinte:
 
 

http://www.scribd.com/doc/3905256/Texto-reflexivo-II

Publicado por efarcosclc às 10:40

Link do post | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 30 de Junho de 2008

DR1 Saúde

 

 
Como elaborar um inquérito?
 
I. Preparação
 
1. Determinar o tema do inquérito;
 
2. Estabelecer o questionário:
 
·        Encontrar perguntas de carácter geral;
·        Organizar as perguntas da mais global para a mais precisa;
·        Redigir perguntas de resposta curta, preferencialmente;
 
3. Estabelecer o tipo de perguntas:
 
·        Questionário fechado: sim ou não.
·        Questionário aberto: respostas mais detalhadas.
 
 
 
4. Definir o Público-alvo.
 
II.  Realização
 
1. Ao executar o questionário:
 
·        Identifique-se e explique o motivo do inquérito.
 
2. Respeitar as pessoas interrogadas
 
·        Garantir o anonimato;
·        No caso de alguém se recusar a responder, não insistir, desculpar-se e agradecer;
·        Deixar o interlocutor reflectir para responder às perguntas;
·        Não insistir numa pergunta, saltar e passar à seguinte.
 
III Análise dos dados
 
1. Reunir e classificar os documentos em gráficos.
 
2. Analisar o inquérito pergunta por pergunta.
 

 

 

Actividade: Observatório da Saúde
 
Em grupo, elabore três inquéritos com os seguintes temas:
- Hábitos Alimentares;
- Actividade Física;
- Higiene e Segurança no Trabalho.
 
Depois de inquirir o máximo de pessoas, trate os dados que recolheu e faça um relatório, onde evidenciará os resultados mais pertinentes, indicadores da mudança ou perpetuidade de mentalidades.
 

 

Publicado por efarcosclc às 18:58

Link do post | Adicionar aos favoritos
|
Sexta-feira, 27 de Junho de 2008

DR4 Ambiente e Sustentabilidade

 

 
ORGANIZAR UM DEBATE
 
O debate é uma actividade que surge no contexto social, permite-nos trocar ideias sobre um determinado assunto e reflectir acerca dos diferentes pontos de vista.
Debater é sinónimo de aprender.
 
I Participantes
 
Debater consiste em:
 
Saber ouvir
 
Todos os intervenientes têm o direito à palavra. Não se deve interromper ou satirizar a intervenção dos demais.
Deve-se respeitar a opinião dos outros mesmo que não estejamos de acordo com as suas ideias.
Saber ouvir é sinónimo de inteligência.
 
Exercitar-se na expressão e exprimir-se com clareza
  
Exponha o seu ponto de vista sobre cada uma das questões abordadas, explicando, claramente, as suas ideias e fundamentando-as com exemplos da actualidade ou da sua experiência pessoal.
Se durante o debate, mudar de opinião devido a uma intervenção pertinente de outro elemento do grupo, deve assumir a sua nova posição sem complexos. Pois, mudar de opinião pode ser sinónimo de evolução. 
 
 
II Etapas para a organização e realização de um debate
  
·         O debate deve ser organizado, materialmente:
- Como se vai dispor a sala?
- Quem vai animar o debate?
·         Papel do animador:
- Lança o debate, expondo com clareza o assunto;
- Dá a palavra a cada um dos que a pedem e impede que a tomem sem ter sido pedida;
- Estimula os participantes e convida-os a reagir e a exprimirem-se;
- Chama a atenção para o assunto quando se afastam dele;
- Controla o tempo e, no fim, convida a que tirem conclusões.
 
·         O secretário toma nota das principais ideias emitidas que permitirão fazer o balanço final.
Publicado por efarcosclc às 11:56

Link do post | Adicionar aos favoritos
|
Quinta-feira, 5 de Junho de 2008

VISITA DE ESTUDO À RESULIMA

Para ver as fotografias da visita de estudo clique no link:

 

 

http://fotos.sapo.pt/efarcos/playview/4

 

 

Para relembrar o que foi dito e visto clique no link:

 

www.resulima.pt

 

 

Publicado por efarcosclc às 12:15

Link do post | Adicionar aos favoritos
|
Sábado, 17 de Maio de 2008

DR3 Ambiente e Sustentabilidade

 

Leia e comente, oralmente, o seguinte artigo:
 
 
Estradas de Portugal Abatem Árvores Centenárias na EN 349-3 entre Tomar e Torres Novas
 
 
Cerca de duas dezenas de Choupos-pretos verdes, alguns centenários, foram abatidos nos últimos dias pela empresa Estradas de Portugal.
A Quercus detectou recentemente o abate de cerca de duas dezenas de choupos-pretos (Populus nigra) autóctones, a maioria sem problemas fitossanitários que justificassem o abate, apresentando a copa verde, na berma da Estrada Nacional n.º 349-3, entre as Terras Pretas, no concelho de Torres Novas e Tomar.
 
Um dos locais denominava-se choupal pela população, confrontando com a Ribeira do Choupal junto da Quinta da Anunciada Velha, antiga propriedade da Ordem dos Templários e do Convento de Cristo de Tomar. Existiam vários choupos-pretos com mais de 1 metro de diâmetro que se estima terem vários séculos de existência, os quais, por estarem verdes e não estarem inclinados sobre a estrada, não colocavam em risco a segurança rodoviária ou de pessoas e bens. Outra situação semelhante de abate de árvores verdes ocorreu junto da Ribeira de Pé de Cão, no concelho de Torres Novas.

A decisão de abate de árvores públicas deve ser tecnicamente fundamentada pela EP


A Quercus tem recebido diversas denúncias de abate de árvores junto de Estradas Nacionais e alerta as entidades competentes para um problema que as Estradas de Portugal devem resolver, criando um sistema que fundamente tecnicamente as árvores que são necessárias abater, recorrendo a relatórios fitossanitários com análises de risco sérios para a segurança rodoviária.

Relembramos que há poucos anos ocorreu um abate sistemático de árvores verdes na berma da EN 2, no concelho de Ponte de Sôr, Distrito de Portalegre próximo da Albufeira de Montargil, sem que existisse fundamentação para o efeito.

A Direcção de Estradas de Santarém da Estradas de Portugal, SA, entregou no Distrito de Santarém a manutenção de centenas de quilómetros estradas, com o respectivo arvoredo à empresa Lena Construções, situação que, apesar de preocupante para a gestão do arvoredo público, esperemos possa ser efectuada de forma sustentável e coerente.

Esperemos que no futuro a gestão do património arbóreo público seja devidamente avaliado, para evitar o abate de arvoredo sem qualquer fundamentação técnica.


Lisboa, 13 de Maio de 2008

A Direcção Nacional da Quercus e Núcleo Regional do Ribatejo e Estremadura
 
 
 
 
OFICINA DA ESCRITA
 
Certamente, já se deparou com verdadeiros atentados contra o ambiente, recorde um deles e imagine que tem a possibilidade de redigir uma carta de reclamação ou uma denúncia para protestar contra esse tipo de crime.
 
Pode orientar-se a partir do seguinte modelo :
 

Nome do remetente
Morada
Contacto
 
 
Destinatário
 
 
Arcos de Valdevez, 19 de Maio de 2008
 
 
 
Assunto: Reclamação
 
Exmo.(a) Senhor(a) ………………,
 
Venho por este meio, manifestar o meu desagrado, relativamente a
Mais concretamente,
Sugiro que
Sem mais assunto de momento, subscrevo-me,
 
DE V. Exa.
Atentamente,
 
______________________________________
 
(Assinatura)
 
 

 
 
MISSÃO : SALVAR O PLANETA
 
Visualize os vídeos da Quercus, alusivos à reciclagem e aos comportamentos adequados para ser um bom condómino da Terra.
Para tal, basta clicar na seguinte hiperligação :
 
http://www.quercustv.org/spip.php?article162
 
 Observe com atenção os seguintes exemplos de panfletos e descubra que mecanismos são utilizados para chamar a atenção do público:
 
 http://www.cm-satao.pt/pls/portal/docs/PAGE/CAMARA_MUNICIPAL_SATAO/CMS_CONSULTAS/CMS_C_NOTICIAS/CMS_CONS_NOT_PROTECCAO_CIVIL/RECICLAGEM.PDF
 
http://www.eb23-lavra.rcts.pt/Projecto/EcoEscolas/Eco0607/PanfletoAgua/Panfleto.pdf
 
 
 
 
Agora em grupo, elabore um panfleto alusivo à protecção do meio ambiente. (Tema Livre)

 

Publicado por efarcosclc às 20:12

Link do post | | Adicionar aos favoritos
|

DR2 Ambiente e Sustentabilidade

 

O PODER DA IMAGEM
 
Depois de visualizar os vídeos da Greenpeace e de outras instituições sobre a poluição da água e da atmosfera, consequente da actividade industrial, comente de que maneira os media em geral e a publicidade institucional em particular podem influenciar o comportamento das populações.
 
 
 

 

 

Publicado por efarcosclc às 13:24

Link do post | Adicionar aos favoritos
|

DR1 Ambiente e Sustentabilidade

 

COMO TIRAR APONTAMENTOS?
 
- Para tirar bons apontamentos é fundamental, recolher a informação mais importante que se pode traduzir na resposta às seguintes perguntas:
 
- Quem?
- O quê?
- Onde?
- Quando?
- Porquê?
- Como?
 
 
 
Não importa a forma como aponta o que é dito, nem mesmo se aponta exactamente o que ouve. O objectivo é apontar a ideia principal do locutor.
 
 
 
 
 
O TEXTO ARGUMENTATIVO
Argumentação, arte de persuadir
Desde que o homem começou a conviver, usou a palavra como meio de dar a conhecer aos outros as suas mundividências e como forma de convencer o(s} outro(s}.
Conhecem-se autores antigos que criaram escolas de argumentação: Sócrates, filósofo grego (470- 400 a . C), Aristóteles, filósofo grego (384- 322 a . C), Cícero, o mais eloquente dos oradores romanos (106- 43 a . C), entre outros. Aristóteles definiu a argumentação como a "arte de falar de modo a convencer".
Toda a arte tem as suas normas e a argumentação não foge à regra. As suas etapas são: encontrar o problema, procurar os argumentos e os contra-argumentos, dispô-los adequadamente, usar as figuras de estilo que mais agradam, formular juízos de valor, etc.
As qualidades principais do discurso argumentativo são o rigor, a clareza, a objectividade, a coerência, a sequencialização e a riqueza lexical.
 
 
 
 
 
Sugestões práticas
1. Preparação da argumentação:
_ procura de argumentos (selecção, número, precisão);
_ disposição dos argumentos (plano, encadeamento);
_ encontrar respostas para as seguintes perguntas:
 
1.1. Que quero eu provar?
1.2. Estes argumentos são realmente válidos?
1.3. De que factos disponho? serão sólidos? quais vou utilizar? quais devo manter em reserva?
1.4. Haverá pontos fracos na minha argumentação?
1.5. Em que ponto posso ou devo ceder?
 
2. Etapas do texto argumentativo:
2.1. Encontrar o problema;
2.2. Analisar os dados;
2.3. Dispor adequadamente os argumentos e contra-argumentos;
2.4. Reformular;
2.5. Enunciar soluções e propostas;
2.6. Formular juízos de valor (concordância ou discordância final);
 
3. Qualidades do texto argumentativo:
_ Rigor, clareza, objectividade, coerência, sequencialização, riqueza lexical.
 
4. Estrutura do texto argumentativo:
_ Introdução: um parágrafo único; afirmação polémica;
_ Desenvolvimento: dois ou mais parágrafos; argumentos e contra-argumentos, exemplos (cada parágrafo        do desenvolvimento deve decompor-se em três elementos: ponto de partida, argumento e    exemplo; os parágrafos devem ser encadeados uns nos outros pelos conectores lógicos);
_ Conclusão: um parágrafo único; retoma da afirmação inicial confirmada ou contrariada.
 
 5. Conectores lógicos:
 
_ Copulativas: e; nem; também; não só... mas também; tanto... como
_ Adversativas (oposição): mas; porém; todavia; contudo; apesar disso; ainda assim; não obstante;
   no entanto
_ Conclusivas (efeito): logo; pois; portanto; por conseguinte; por consequência; por isso
_ Explicativas: pois
_ Causais: porque; como; visto que; pois que; já que
_ Comparativas: como; conforme; segundo; assim como... assim também; mais... do que; menos...
   do que; ao passo que
_ Temporais: quando; enquanto; apenas; mal; logo que; antes que; depois que; assim que; à medida que
_ Concessivas (hipótese): embora; conquanto; ainda que; mesmo que; se bem que; apesar de que
_ Consecutivas (consequência): tal que; de tal modo que; tanto que; de maneira que
_ Finais: para que; a fim de que
 
 
 
COMO ELABORAR UM TRABALHO DE REFLEXÃO E DE PESQUISA?
 
 
A NÍVEL DE CONTEÚDO
 
1. Escolher o Tema;
2. Procurar a informação;
3. Seleccionar o que é importante nos documentos encontrados;
4. Definir os diferentes parágrafos em forma de tópicos;
5. Desenvolver os tópicos;
6. Concluir com uma reflexão pessoal.
 
A NÍVEL ESTRUTURAL
 
1. Capa
2. Folha de rosto
3. Sumário
4. Introdução
5. Desenvolvimento
6. Conclusão
7. Bibliografia / Webliografia
8. Anexos
 

Folha de Rosto
Escola
TÍTULO DO TRABALHO
Nome do Aluno:
Local
Ano

 

Sumário
 
Introdução                                                              
1. O Sistema Solar                                                 
1.1. O nascimento do Sistema Solar                      
1.2. O Sol                                                               
2. Os planetas                                                        
2.1. Terra                                                                
2.2. Mercúrio                                                          
2.3. Vénus                                                              
Conclusão                                                              
Anexos                                                                   
Bibliografia                                                              

 

Conclusão
 
Na conclusão pode resumir as ideias mais importantes do seu trabalho; expor as dúvidas que continuam a existir; registar as suas opiniões sobre o trabalho e o modo como o realizou, as dificuldades sentidas...
 

 
 
 
 
Acordo Ortográfico
 
Portugal e os países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa - Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-leste terão a ortografia unificada. O português é a terceira língua ocidental mais falada, após o inglês e o espanhol.
O facto de ter duas ortografias dificulta a divulgação do idioma e a sua prática em eventos internacionais. A sua unificação, no entanto, facilitará a definição de critérios para exames e certificados para estrangeiros. Com as modificações propostas no acordo, calcula-se que 1,6% do vocabulário de Portugal seja modificado. No Brasil, a mudança será menor: 0,45% das palavras terão a escrita alterada.
Mas apesar das mudanças ortográficas, serão conservadas as pronúncias típicas de cada país.
O que muda na ortografia em 2008:
- As paroxítonas ( sílaba tónica: penúltima / palavra aguda) terminadas em "o" duplo, por exemplo, perderão o acento circunflexo.
Ao invés de "abençôo", "enjôo" ou "vôo", os brasileiros terão que escrever "abençoo", "enjoo" e "voo".
- Não se usará mais o acento circunflexo nas terceiras pessoas do plural do presente do indicativo ou do subjuntivo dos verbos "crer", "dar", "ler", "ver" e seus decorrentes, ficando correcta a grafia "creem", "deem", "leem" e "veem".
- Criação de alguns casos de dupla grafia para fazer diferenciação, como o uso do acento agudo na primeira pessoa do plural do pretérito-perfeito dos verbos da primeira conjugação, tais como "louvámos" em oposição a "louvamos" e "amámos" em oposição a "amamos".
- O alfabeto deixa de ter 23 letras para ter 26, com a incorporação de "k","w" e "y".

- O acento deixará de ser usado para diferenciar "pára" (verbo) de "para" (preposição).
- Haverá eliminação do acento agudo nos ditongos abertos  "oi" de palavras paroxítonas, como "heróica" e "jibóia". O certo será heroica e jiboia.
- Em Portugal, desaparecem da língua escrita o "c" e o "p" nas palavras onde ele não é pronunciado, como em "acção", "acto", "adopção" e "baptismo". O certo será ação, ato, adoção e batismo.

- Em Portugal, elimina-se o "h" inicial de algumas palavras, como em "húmido", que passará a ser escrito como no Brasil: "úmido".
- Portugal mantém o acento agudo no e e no o tónicos que antecedem m ou n, enquanto o Brasil continua a usar circunflexo nessas palavras: académico/acadêmico, génio/gênio, fenómeno/fenômeno, bónus/bônus.
 
 
REFLEXÃO
 
 
Tem consciência das repercussões positivas e negativas dos seus actos quotidianos sobre o ambiente? Preocupa-se com ambiente? De que modo e por que razão? Aprendeu algo de novo acerca deste tema durante as sessões? Que conselhos daria aos demais para cuidar do planeta?
Responda a estas e outras questões relacionadas com o tema e com a sua experiência, utilizando as técnicas do texto argumentativo.
 
Exemplo:
Este é um texto argumentativo da Sandrina, do 11º A.
 
“Reciclagem”
O processo da reciclagem é um bem essencial à vida humana, pois através dele evitamos uma série de doenças e poupamos recursos para viver. A maioria das pessoas já efectua esta prática, mas não o suficiente para se afirmar que é uma actividade lucrativa.
Será que as pessoas desejam viver junto de aterros sanitários, que só produzem dióxido de carbono e químicos prejudiciais a nossa saúde? Preferem que daqui a uns anos os seus filhos não tenham material para embalar um simples pacote de bolachas? Querem que os vossos netos nasçam com doenças respiratórias raras, devido aos químicos? É isto que querem para o vosso futuro?
É obvio que as pessoas, após confrontadas com estas problemáticas cara a cara, pensam melhor antes de deitarem lixo que possa ser reciclado para o lixo doméstico. A reciclagem é importante para se poder aproveitar a matéria desse produto para poder utilizá-la com os mesmos fins ou com outros. Em média cada ser humano produz um quilo de lixo por dia, o que multiplicado pela população mundial são números aterradores. Para se ter uma ideia uma garrafa de vidro demora um milhão de anos a decompor-se, e uma lata de Coca-Cola cem anos, não acham que estes números podem ser evitados 
A não reciclagem dos devidos materiais provoca uma poluição ambiental gigantesca e dentro dessa poluição estão englobadas uma série de coisas como a contaminação dos solos; libertação de gases que podem provocar o efeito de estufa e, por conseguinte, o aumento da temperatura e as chuvas ácidas, entre outros; as lixeiras a céu aberto, que além de exalarem mau odor ainda poluem as águas e libertam gases; a contaminação das águas subterrâneas, quando, por exemplo, se deita lixo pela janela do carro, que demora centenas de anos a decompor-se e que depois se infiltra nos lençóis de água; a escassez de recursos daqui a uns anos, etc.
Pensem agora se é assim que querem viver o resto das vossas vidas, sujeitos a doenças pulmonares graves, podendo ser mesmo desconhecidas. Com uma lixeira perto de vossa casa e o cheiro a entrar lá: será assim que querem viver? Por mais que nos custe e que seja complicado fazer a reciclagem, esta não demora cinco minutos do nosso tempo, e pode salvar muitas vidas e ter menos efeitos negativos na terra.
Por favor, façam a reciclagem para um mundo melhor, onde permaneça a paz e a alegria.
Labels: texto argumentativo
posted by filosofuas @ 10:40 AM 
 
 

 

Publicado por efarcosclc às 13:03

Link do post | Adicionar aos favoritos
|

- CLC

- Pesquisar neste blog

 

- Julho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

- Posts Recentes

- REFLEXÃO SOBRE A APRENDIZ...

- DR1 Saúde

- DR4 Ambiente e Sustentabi...

- VISITA DE ESTUDO À RESULI...

- DR3 Ambiente e Sustentabi...

- DR2 Ambiente e Sustentabi...

- DR1 Ambiente e Sustentabi...

- Arquivos

- Julho 2008

- Junho 2008

- Maio 2008

blogs SAPO

- subscrever feeds